Metodologia incremental divide em quatro fases o sucesso de seu podcast

Quando separo algumas horas de minha semana para avaliar os e-mails que chegam com pedidos de proposta para produção de podcasts para empresas e marcas, sei que grande parte deles terá, com certa justificativa, uma dúvida central: como é o processo interno da Contém Conteúdo para produzir podcast para uma marca?

Faz parte do jogo que um futuro contratante de uma atividade/indústria ativa e aquecida queira conhecer como essa gente muito dedicada consegue tirar do papel o sonho de participar de um hype, fazer networking, ganhar autoridade e, de quebra, emplacar conteúdo de qualidade.

É claro que a gente tem a nossa metodologia de produção de podcasts. Sem ela, as entregas não andariam. A melhor notícia do dia nem é essa: é que ela é constantemente testada e refinada quando estamos escrevendo roteiros, gravando e editando os episódios de nossos clientes.

Clientes como o Rock in Rio Humanorama, o Bio Parque do Rio e a Tracione Marketing, já conviveram com a sua aplicação direta. Mas, se você está chegando aqui pela primeira vez, preparei este post rápido com os pontos centrais dessa jornada. 

Aliás, o que vou abordar aqui teve já uma versão em vídeo neste webinar no qual explico como é este trabalho.

Mas, vai que você é como eu e curte um bom texto explicativo para salvar e consultar depois, não é mesmo? #TeamKindle!

Metodologia incremental para produção de podcasts

Ou, para os íntimos: sabemos fazer, mas todos os dias melhoramos um pouquinho. 🙂 A nossa metodologia é dividida em quatro grandes entregas, que variam de escopo e complexidade de acordo com a necessidade das marcas que contratam nossos serviços. 

O mais importante sequer é se concentrar nessa variação de escopo. É, antes, entender que trabalhamos dentro da lógica incremental. Ou seja: cada uma das entregas funciona como impulsionadora da próxima, garantindo aprendizados e ajustes em cada projeto.

(Isso vale para quem pensar em aplicar o que vou mostrar a seguir por conta própria. Fica a dica: é preciso saber pilotar para chegar em primeiro lugar!)

Uma curiosidade antes de prosseguir: nossa metodologia para produção de podcasts não é muito diferente daquilo que aprendemos produzindo mais de 100 mil peças de conteúdo para as maiores marcas de e-commerce do país. Mas, tem suas características diferenciadas, claro: porque o áudio é diferente também.

Sem mais, vamos detalhar cada uma das fases de nossa produção de podcasts para marcas?

Nossas quatro fases meio que funcionam num ciclo virtuoso que visa construir audiências fidelizadas no médio prazo para clientes que queiram criar narrativas em áudio a partir do podcast ou salas ao vivo. Para isso, a gente entendeu que precisa começar aos poucos. 

Entrega 1: como seu podcast vai soar?

Nossa primeira fase é justamente casar a Estratégia de Conteúdo da marca de nossos clientes com uma Assinatura Sonora do podcast em si.

Ah, vocês criam vinhetas, abertura e encerramento, certo? Certo. Mas não é só isso. Até porque nos últimos dois anos até o conceito de vinheta tem saído de cena, né?

Aqui é o momento de sugerir quadros, ritmo, periodicidade, claro que se acharmos interessante vinheta e chamadas, vírgulas sonoras e pool de efeitos. Em resumo: é o momento de pensar na personalidade deste podcast.

Com isso determinado a gente começa a produzir os programas, certo? Mais ou menos.

Entrega 2: vamos testar um piloto antes de decolar?

Tem uma frase perfeita para este momento que ouvi em um evento da galera de podcast há alguns anos: nenhum podcast é para todo mundo, mas tem um podcast para cada um de nós. 

Uma mídia de nicho tem destas características interessantes: ela conversa com um grau de fidelização diferenciado. Um ouvinte de podcast é mais íntimo de seu programa do que em qualquer outro tipo de conteúdo, como nos conta a PodPesquisa feita pela abPod todos os anos.

De forma que quando a gente desenha um programa, precisamos testá-lo nesta audiência. Precisamos respeitar o vínculo que queremos criar. E nada melhor do que oferecer um “biscoitinho” inicial para entender a reação.

O piloto nem precisa ser apenas um episódio. Podemos montar uma micro-temporada de um mês para avaliarmos se aquilo que precisamos testar demanda um pouco mais de atenção aos dados. Mas, nunca mais de um mês. Por quê?

Entrega 3: Agora é hora de colocar sua primeira temporada de podcast de marca no ar

Com os ajustes feitos, a gente finalmente decola essa temporada que você tanto queria! Isso por que faz parte da metodologia em algum momento contar para os nossos clientes uma coisa: podcast é um produto de conteúdo que só faz sentido no médio prazo. 

Para desenhar essa temporada, levamos em conta a periodicidade, se o seu projeto é perene ou se é uma coletânea de artigos mais ou menos fechada entre outras coisas. Mas, via de regra, uma temporada tem ali entre seis e nove meses. 

Este número não é aleatório e tem a ver com a margem de tempo normalmente indicada pelas próprias plataformas para que seu feed decole dentro da lógica dos algoritmos e de forma cadenciada vá chegando no recorte de público que você se planejou para interagir.

E depois, faz o que? Tudo de novo, ué.

Entrega 4: Análise de temporada e reprojeto

Depois de uma jornada longa, muitas histórias e interações que valem ouro, é o momento de consolidar todos os relatórios semanais do DashBoard de seus episódios (seja ela no Anchor, Spreaker, Spotify ou onde convencionarmos subir o nosso conteúdo) para colhermos alguns insights.

Muitas perguntas precisarão de resposta e serão ponte para novos projetos:

  • Como está a retenção nos primeiros minutos
  • A audiência está consumindo o conteúdo até o final?
  • A duração e periodicidade está bem calibrada?
  • Algum trecho e/ou quadro específico faz os ouvintes irem embora?
  • Que temas geraram maior pico de audiências em uma semana?
  • Quais temas seguiram engajando ao longo da temporada?

Poderia ficar aqui listando perguntas e não esgotaria o universo de possibilidades que cada temporada do seu podcast teria. Porque ele será único e vamos olhar para ele com essa mesmo viés: o da exclusividade.

Mas, o fato é que após avaliar tanto estas questões básicas, quando aquelas que conversem mais diretamente com o seu universo, poderemos traçar um plano de ação para voltar com uma nova temporada com todos os ajustes feitos.

E todo o ciclo recomeça! 😀

Para fechar: como saber se posso contratar essa metodologia para o podcast da minha empresa?

Se é verdade que o podcast é uma mídia de retorno de médio prazo e que você precisa merecer a atenção de sua audiência…ou seja, que vai precisar de uma metodologia incremental como a que demonstrei agora, é também correto afirmar que a relação comercial da Contém Conteúdo com seus clientes também pode seguir essa cadência.

Por isso, procuramos precificar cada uma das fases em orçamentos pontuais e de características e composição de pagamento alinhadas com as suas expectativas. E, claro, embora a gente pratique alguns custos fixos de acordo com equipe e e entregas envolvidas, temos alguma flexibilidade para avaliar cada projeto como se fosse único.

O que, aliás, com a ajuda de uma estratégia para podcasts bem feita, será.

Antes de ir

Conheça alguns dos podcasts que já produzimos, avalie nossos pacotes para temporada e solicite a sua proposta

Ou já mande um alô para começarmos a conversar: